Juliano Holanda – A Arte De Ser Invisivel

Gosta do disco? Vote!

julianoholanda.com.br

São mais de 100 composições gravadas, participações em mais de 50 discos e milhares de palcos pisados. Por trás de arranjos, canções, artistas e projetos representativos de um Pernambuco musical contemporâneo, Juliano Holanda é quase onipresente. Solicitado letrista, compositor, arranjador, produtor musical e instrumentista, prefere não se fazer ver. Mas sabe bem como se fazer ouvir. Nascido em Goiana, Mata Norte de Pernambuco, e crescido em Olinda – geografia necessária para defini-lo – Juliano pratica com autonomia neste primeiro disco solo a sua Arte de ser invisível. São dez canções compostas e tocadas por ele, com intérpretes diferentes para cada uma delas. Só na primeira faixa, em quase 200 palavras e mais de quatro minutos de música, pode-se ouvir o autor dar voz à própria voz. Uma abertura certeira para um álbum com recado poético-musical intenso, onde cabem o tradicional e o moderno; a sofisticação e a simplicidade. Juliano monta neste trabalho o seu próprio quebra-cabeça de timbres e texturas. Para encaixar as muitas peças que juntou em 22 anos de carreira (começou a tocar profissionalmente aos 13 anos), usa, sem restrições, músicos com quem cruzou na estrada. Esses cedem incondicionalmente suas interpretações para dar visibilidade e corpo à obra do amigo, parceiro e mestre. Na seleção, nomes como Benjamin Taubkin, Jam da Silva, Siba, Marcelo Pretto, Marion Lemonier, Tatiana Parra, Laya Lopes, Geraldo Maia, Rob Curto, Jr. Black e Ceumar, que tiveram o prazer de compor, ouvir, tocar ou falar de música (ou de qualquer outro assunto que seja) com o versátil Juliano Holanda.          

Juliano Holanda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja Também

Tags

8bits 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 A banda de Joseph Tourton Abdala Afrobeat Againe Ambient Andre Abujamra Aparelhagem Malk Espanca Avant-Garde Barulhista Bemônio Billy Ponzio Bixiga 70 Black Drawing Chalks Black Metal Blues Bodes Elefantes Bonifrate Boogarins Bootleg Borealis Bossa Nova Brega brega-rock Cadu Tenório Calistoga Camarones Orquestra Guitarristica Carimbó Cesrv Ceticências Chankas Chinese Cookie Poets Cidadão Instigado clássica Coletânea Constantina Criolo Crossover Crust Cumbia Cássio Figueiredo Cícero Dance of Days Death Metal Devotos Diagonal Diomedes Chinaski DJ MixXxuruca Do Amor Dorgas Drone Dub Eddie Eletrônico Elma Emicida emo Erudito Expeirmental Explosions In The Sky fastcore FBC Felipe Neiva Forró Fossil Funk Garage Fuzz George Christian Giallos Giancarlo Rufatto Gigante Animal Glam Rock God Pussy Graxa grindcore Gringas Grunge Grupo Porco de Grindcore Interpretativo GRUTA Guerrinha Guitarrada Hardcore Hardcore Melódico Heavy Metal Herod Layne Hierofante Púrpura Hurtmold Indietronica Instruemental Jair Naves Jan Felipe Juçara Marçal Kassin Kiko Dinucci Labirinto La Carne Los Hermanos Lucas Santtana Ludovic Lupe de Lupe Lê Almeida M. Takara Macaco Bong Madame Rrose Sélavy Manguebeat Maracatu Marco Nalesso Mario The Alencar Mombojó Muep Etmo Mukeka di Rato Móveis Coloniais de Acaju Nação Zumbi Negro Leo niLL Noise Nosso Querido Figueiredo Noção de Nada Obasquiat Objeto Amarelo Pagodão Parteum Polara Post-Hardcore Post- Punk Power Violence Psicodelia Psilosamples Punk ragga Rakta Rob Mazurek Rockabilly Romulo Fróes Satanique Samba Trio Screamo Sentidor Shoegaze Siba Sick Terror Sin Ayuda Ska Ska/Dub Sobre a Máquina Soul Spoken Word Sp Underground Stela Campos Stoner Street Bulldogs Surf Music surf rock Test The Baggios The Cigarettes Thelmo Cristovam Thiago França Thiago Miazzo This Lonely Crowd thrashcore Thrash Metal Trash Trip Hop Tropicalia Udr umnavio V.A VA Victim Victor Toscano Violins Vitor Brauer Wallace Costa Wry Zander Zeca Viana